Informações Gerais Técnico em Segurança do Trabalho – Sena Aires

Área do Plano: Segurança

Resoluções de Autorização do CEE/CEP:

a) Curso Presencial – Autorização CEE-CEP/GO: Nº 13 de 27 de fevereiro de 2015. (validade: até 31 de dezembro de 2018)

b) Curso a Distância – Resolução CEE/CEP: Nº 18 de 28 de fevereiro de 2018 (validade até 31 de dezembro de 2021), retificada pela Resolução Nº 44 de 10 de maio de 2018.

Duração: 18 MESES – Carga Horária Total: 1.440 horas (1.200 horas de Atividades Teóricas e 240 horas de Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório).

Escolaridade: Para candidato que possua idade mínima de 18 anos e escolaridade de nível médio ou equivalente ou encontrar-se na última etapa da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Turnos oferecidos em Valparaiso de Goiás: Matutino – Noturno e aos Finais de Semana (SÁBADOS E DOMINGOS). Consulte Turmas Ativas em nosso Setor de Atendimento ao Público (SAP).

Turnos oferecidos em Goiânia: Noturno e aos Finais de Semana (SÁBADOS E DOMINGOS) – Consulte Turmas Ativas em nosso Setor de Atendimento ao Público.

Área de Atuação: Hospitais da rede pública e privada. Empresas e Clinicas de médio e grande porte, apoio ao diagnostico, dentre outras dezenas.

Salário Médio: Varia de R$1.000,00/mês a R$ 3.600,00 (Secretaria Saúde DF).

Sobre a Profissão

As empresas investem nos aspectos de segurança e bem estar no trabalho, pois os acidentes e doenças significam desperdício de recursos e evidentes falhas de gestão, face às novas funções em decorrência da descentralização de decisões exigindo-se novas técnicas e recursos humanos cada vez mais ágeis e produtivos.

O mercado de trabalho para técnicos em segurança do trabalho é promissor. Cada vez mais as empresas percebem que investimentos em segurança do trabalho têm alto retorno em termos de redução de causas trabalhistas e satisfação dos empregados. A busca de certificados de Qualidade Total passou a ser um critério muito importante na avaliação de uma empresa e seus produtos, exigindo dos empresários maior atenção às questões de segurança. Se todas as empresas cumprirem o que determina a lei, que exige um técnico por empresa com mais de 100 empregados e um engenheiro de segurança por empresa com mais de 500, não haverá profissionais em número suficiente.

A Federação Nacional dos Técnicos de Segurança no Trabalho (Fenatest) estima que haja, em todo o Brasil, cerca de 120 mil profissionais, sendo 45 mil deles somente no estado de São Paulo – 60% de nível técnico e 40% com formação superior. Há, porém, uma grande rotatividade de técnicos nas empresas, especialmente para os que atuam na área de construção civil e de hospitais. No Centro-Oeste, Goiás e o Distrito Federal, em especial na região metropolitana de Goiânia, têm crescido o número de indústrias e de empresas de outras áreas, aumentando, consequentemente o capo de trabalho.

Como é de domínio público diariamente são publicados editais de chamamento para concurso, contratação imediata, por parte dos municípios, na área de saúde, ai incluída a área de saúde, responsabilizando as unidades educacionais que atuam com estes cursos a ministrarem, com agilidade e qualidade para que os nossos jovens e adultos possam ingressar no mundo do trabalho.

Objetivos

  • Atender aos princípios norteadores da Educação Profissional enunciados pela lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.
  • Desenvolver as competências profissionais gerais requeridas pela área de segurança no trabalho e da indústria, formando o técnico em saúde e segurança no trabalho, possibilitando ao trabalhador a ampliação de sua esfera de atuação e a interação com outros profissionais.
  • Capacitar recursos humanos em atendimento da demanda local, regional e nacional, de acordo com o perfil profissional proposto para o desenvolvimento de atividades de apoio ao diagnóstico, educação para a saúde, proteção e prevenção e gestão em saúde, utilizando métodos, técnicas e habilidades específicas, visando a empregabilidade e a trabalhabilidade.
  • Preparar o profissional para o imediato ingresso no trabalho, com estilo, ética e autonomia para o desenvolvimento de atividades que lhe são inerentes.
  • Proporcionar ao trabalhador e ao dirigente de empresa a participação na redução de acidentes e na melhoria da produção, visando assim à promoção humana, social e profissional.

Organização Curricular

O Curso é estruturado por Módulos Curriculares com caráter de prosseguimento de estudos e terminalidade, articulados entre si e com a educação básica, independência e coerência com o perfil profissional de conclusão, com flexibilidade, interdisciplinaridade e contextualização, com certificação por competência profissional, visando preparar para o mercado produtivo para a laborabilidade e trabalhabilidade.

O desenho curricular do curso de nível técnico compõe-se de 03 (três) Módulos, concluído o Módulo III, com a apresentação do título de conclusão do ensino médio, será conferido o Diploma de Técnico em Segurança no Trabalho com validade nacional.

O currículo será desenvolvido em hora aula de 60’ (sessenta minutos), em semanas e meses letivos, durante e aos finais de semana, cumprindo integralmente o currículo fixado, em observância das normas que amparam a Educação Profissional, subsidiando-se nos Referenciais Curriculares Nacionais da Educação Profissional de Nível Técnico, observando a coerência com as competências propostas na CBO, no documento Guia de Profissões e Mercado de Trabalho do Ministério de Trabalho e Emprego e no ordenamento jurídico que respalda as profissões.

O estágio supervisionado será desenvolvido ao longo do curso em empresas conveniadas, em horário distinto e de acordo com a norma que ampara o assunto. O Estágio está estruturado de acordo com a Lei 11788/2008 que regulamenta no território nacional o estágio curricular obrigatório.